Desafios em gado leiteiro



Fertilidade

Sabe-se que a redução da fertilidade em rebanhos leiteiros é um dos principais fatores que afeta a rentabilidade da produção. O manejo nutricional das vacas leiteiras tem influência direta sobre o desempenho reprodutivo, especialmente na fase inicial da lactação.

O foco em fertilidade costuma ocorrer no momento da inseminação mas, na realidade, a fertilidade é um processo que se inicia com a qualidade do óvulo a ser inseminado, ao garantir desenvolvimento adequado do folículo e termina com a implantação do embrião resultante. Boa fertilidade, portanto, depende de manejo e nutrição adequados durante todo o período, de 3 meses antes da inseminação até 50 dias depois do serviço.

Quaisquer inadequações em relação ao conforto e manejo das vacas, especialmente se resultantes em stress, distúrbios metabólicos ou desequilíbrios nutricionais, comprometem a fertilidade.

Energia

Caso a vaca esteja em balanço negativo de energia (perdendo muito peso) durante a fase de desenvolvimento folicular, a qualidade do ovócito será reduzida.

Proteína

O excesso de proteína degradável no rúmen (ou falta de energia fermentável) na dieta resultam em excesso de produção e absorção de amônia através da parede ruminal, resultando em níveis elevados de uréia tanto no sangue quanto no leite. Caso haja excesso de produção de amônia que não seja detoxificada no fígado, ocorre interferência com a motilidade espermática e desenvolvimento embrionário.

Oligoelementos

O balanço adequado de oligoelementos nos tecidos da vaca é vital, tanto para o desenvolvimento do folículo quando para o desenvolvimento do embrião.

Desafios em gado leiteiro