Perigo: micotoxinas podem colocar sua produção em risco

Aug 15
Perigo: micotoxinas podem colocar sua produção em risco

São 500 tipos dessa toxina que podem afetar negativamente o desempenho e rentabilidade nas granjas de suínos

Os suinocultores têm conhecimento de que as micotoxinas são produzidas por fungos e podem afetar o desempenho dos animais e a rentabilidade dos produtores de diversas maneiras. Mas você sabe por que essas toxinas representam um risco tão grande para o seu negócio?

O que são micotoxinas?

Micotoxinas são substâncias naturais, produzidas por fungos no campo e durante a estocagem de grãos, ração e forragem. Com mais de 500 tipos diferentes de micotoxinas (isso mesmo, são mais de 500!), elas representam um alto risco ao produtor, podendo afetar negativamente o desempenho dos animais e, consequentemente, sua eficiência e rentabilidade.  

Como as micotoxinas afetam os suínos?

Suínos são extremamente sensíveis às micotoxinas. A presença desses organismos, mesmo que em baixos níveis nas propriedades, atrapalha o desempenho na produção, afetando a imunidade e a saúde dos animais, podendo até mesmo levá-los à morte.

À medida que o tempo de colheita se aproxima, as micotoxinas podem se tornar um problema ainda maior. Por isso, existem mecanismos e programas que medem periodicamente a qualidade de insumos quanto à presença de micotoxinas. Recentemente, a Alltech tem encontrado problemas nesses diagnósticos na América do Norte.

O Alltech 37+® é um serviço laboratorial que analisa a presença dessas substâncias na ração ou em grãos. Atualmente, o programa está realizando uma pesquisa nos Estados Unidos e no Canadá (2017 Summer Harvest Survey of Wheat). Os resultados finais serão disponibilizados em alguns meses, porém os dados iniciais já mostram altos índices de DON, T-2/HT-2 e zearalenona – tipos comuns de micotoxinas na região.

Segundo a especialista em micotoxinas da Alltech, Alexandra Weaver, os sintomas que podem ser ocasionados por micotoxinas do tipo DON, T-2/HT-2 e zearalenona incluem:

  • Menor ingestão de ração;
  • Problemas na saúde intestinal: prejudica o trato intestinal, aumenta problemas patógenos no intestino;
  • Estado imunológico alterado: aumenta a susceptibilidade a outras doenças e causa baixa resposta a vacinas;
  • Redução nos índices de crescimento;
  • Impactos no desempenho reprodutivo: abortos, taxas de concepção reduzidas, leitões natimortos ou mumificados, aumento da variação de peso na ninhada.

Devido aos mercados de exportação e importação de grãos, ração e outros ingredientes, os países acabam ficando suscetíveis aos riscos de diversos tipos de micotoxinas presentes em todas as regiões, o que exige certos cuidados quanto a um bom gerenciamento, manejo e formulações, principalmente por parte dos produtores e fábricas.

E então, o que podemos fazer?

·         Programas como o Gerenciamento de Micotoxinas da Alltech realizam estudos e entregam soluções personalizadas para controlar as micotoxinas, a partir de uma combinação de ferramentas que gerenciam as substâncias, testes e tecnologias nutricionais.

·         Um gerenciamento de micotoxinas efetivo precisa enxergar e agir quanto ao desafio como um todo, desde a fábrica de ração até a propriedade, e desde avaliações de riscos até o gerenciamento da ração. O planejamento (sendo proativo em vez de reativo) beneficiará os animais e a propriedade de médio a longo prazo.

·         Utilizar adsorvente que tenha amplo espectro de ação: isso poderá reduzir ao máximo os riscos causados pelas micotoxinas. O produto de amplo espectro de ação irá atuar em todo o trato digestivo do animal, reduzindo os riscos causados pelos diversos tipos de micotoxinas. Um exemplo é o Mycosorb A+, da Alltech, que oferece capacidade superior de aderência, resultando em uma maior proteção contra as principais micotoxinas.

Dúvidas? Fale com a Alltech:



All Categories