Proteína para um Mundo em Crescimento



Alltech Aquaculture Center

A look at the Alltech Aquaculture Center

Em 2050, estima-se que a população mundial chegue a 9,3 bilhões. Como fornecer proteína suficiente para alimentar todas estas bocas famintas? A produção animal exige terras agricultáveis e água doce, ambos recursos escassos. Intensificação da pesca não parece uma opção viável, uma vez que as populações de peixes já estão sendo drasticamente reduzidas. Será que a aquiculturapode ajudar a resolver este problema? Será que nos ajudará a alimentar o mundo de forma sustentável ou levaremos as espécies nativas para a extinção?

Aquicultura e Poluição

ma das principais queixas em relação à aquicultura é a poluição das águas associada a fazendas convencionais de criação de peixes na costa. Os dejetos e os restos de ração destas fazendas poluem águas rasas, levam à supercrescimento de algas e matam a vida marinha das proximidades. Produtores inovadores de peixes e pesquisadores estão trabalhando no desenvolvimento de alternativas em águas profundas. Por exemplo, alguns produtores utilizam enormes gaiolas submersas acoradas em mar aberto para que as correntes marinhas levem os dejetos, que são diluídos e consumidos por plâncton.

Aquicultura e Farinha de Peixe

Muitas das espécies mais populares em aquicultura são grandes peixes predadores como atum e salmão. Estes peixes tem altos preços no mercado e fica fácil de entender porque são preferidos pelos produtores. Com o quase desaparecimento do atum selvagem, a criação em cativeiro poderia ser anunciada como substituto sustentável à pesca predatória. Peixes criados em cativeiro podem não ser propriamente selvagens, mas ainda assim precisam se alimentar de outros peixes, geralmente na forma de farinha de peixe de anchovas e sardinhas. Estes pequenos peixes sustentam a cadeia de alimentos dos oceanos e caso sejam pescados intensivamente, a vida marinha poderia ser dizimada como um todo.

A aquicultura cresce 7,5% ao ano. À medida que a produção cresce, torna-se ainda mais importante eliminar os peixes selvagens como fonte de alimento. Progressos já foram  obtidos na últimas décadas. Antigamente, se usavam sardinhas inteiras como alimento dos peixes em cativeiro. Em muitos locais, esta prática foi substituída pelo fornecimento de ração formuladas para aquicultura, compostas de farinha de peixe, farelo de soja e outros ingredientes. A soja e outros grãos também já são escassos e exigem terra e água para seu plantio. Se quisermos que a aquicultura alivie a pressão sobre o uso de terra e água, precisamos minimizar o uso de produtos agrícolas nas rações fornecidas aos peixes.

Aquicultura e Algas

Talvez seja necessário descer alguns degraus na cadeia alimentar além das sardinhas e anchovas para identificar alternativas para alimentar os peixes. As algas estão na base da cadeia alimentar marinha e são fonte de DHA, o ácido graxo ômega-3 que faz com que o peixe seja um alimento tão saudável. As algas já estão sendo produzidas como fonte de suplementos de DHA para sucedâneos de leite para bebês, leite e sucos. As algas podem ajudar a aquicultura a ser verdadeiramente sustentável.

A Produção de Algas da Alltech está Crescendo [+]