Dr. Majid Fotuhi: será que a cura da memória é uma missão impossível?

Jul 20
Dr. Majid Fotuhi: será que a cura da memória é uma missão impossível?

Autora: Lauren Dozier

Quando Majid Fotuhi era ainda um garoto no Irã, seu pai disse: "Majid, nosso cérebro é incrível, e não há limites para o que você pode fazer".

Quando Fotuhi se formou no ensino médio em 1980, seu país estava em guerra com o Iraque. Em vez de enfrentar a morte certa numa batalha, Fotuhi decidiu arriscar sua vida e deixar o país. Ele estudou de 12 a 16 horas por dia aprendendo inglês, francês e alemão, sem saber ao certo onde sua jornada o levaria.

Depois de ser contrabandeado para fora do país, Fotuhi se formou em medicina e recebeu seu diploma da Harvard Medical School como membro do Programa Harvard-MIT de Ciências da Saúde e Tecnologia. Tempos depois, se tornou Ph.D. em neurociência pela Universidade Johns Hopkins. Sua curiosidade sobre por que algumas pessoas têm um cérebro saudável enquanto outras mostram sinais de envelhecimento o levou a estudar neurologia, com um foco específico no hipocampo.

Hoje, Fotuhi é uma autoridade reconhecida no campo da memória, a doença de Alzheimer e o aumento da vitalidade do cérebro no final da vida.

Os efeitos devastadores da doença de Alzheimer e da demência, que afetam mais de 50 milhões de pessoas em todo o mundo, são muitas vezes considerados como parte inevitável do processo de envelhecimento, mas Fotuhi diz que não é assim.

"Muitos de nós pensamos que, quando ficamos mais velhos nossa função cerebral deve inevitavelmente piorar, mas isso não é verdade", disse Fotuhi, falando para a plateia da ONE: The Alltech Ideas Conference. "Agora podemos começar a fazer coisas para expandir nosso cérebro."

Fotuhi está sugerindo que realmente é possível que o cérebro cresça?

"É possível", disse ele. “A saúde do cérebro pode ser melhorada em qualquer idade”.

Fotuhi recomenda adotar um estilo de vida saudável que inclua consumo de ômega-3, meditação, aprender algo novo todos os dias e dormir bem. Ele iniciou um estudo de 12 semanas em que os participantes incorporaram essas estratégias a suas rotinas diárias. Usando uma ressonância magnética antes e depois do cérebro de um participante, Fotuhi ilustrou a expansão significativa do hipocampo, espelhando o cérebro de alguém 10 anos mais jovem.

"Ter um propósito na vida tem um impacto em seu cérebro", disse Fotuhi. “Se você é alguém que se sente apaixonado por seus objetivos, se você tem uma vida orientada por propósitos, seu cérebro é mais saudável. ”

Fotuhi encorajou o público a assumir a responsabilidade por sua saúde cerebral.

"Pense em seu cérebro da mesma forma que você pensa na saúde de seus dentes", ele insistiu.

Então, com as exigências diárias do trabalho e da vida, como fazer da saúde do cérebro uma prioridade? Fotuhi enfatiza a redução do estresse, não da atividade.

"Você precisa fazer o que você ama fazer", afirmou ele. “Não é uma questão de 'parar de trabalhar' - você precisa manter seu cérebro ativo. Há uma diferença entre estar ocupado e estar estressado.”

Referindo-se aos primeiros sentimentos do pai sobre a capacidade do cérebro, Fotuhi disse: “Agora acredito nele. Ainda mais do que naquela época”.

"Usar ou perder, aplica-se ao seu cérebro mais do que se aplica aos músculos", continuou ele. “O momento em que você para de usar seu cérebro é o momento em que você começa a ir ladeira abaixo.”



All Categories