Mulheres na churrasqueira? Sim, por que não?

Categorias: Marketing
Dez 03
Mulheres na churrasqueira? Sim, por que não?
Vou começar o post de hoje com uma pergunta para vocês: nas festas da família e dos amigos, quem costuma comandar a churrasqueira? O homem ou a mulher? Aposto que a maioria de vocês vai responder que é um homem. Pois é, a churrasqueira é uma espécie de ambiente masculino por excelência, do qual as mulheres sempre tomaram certa distância. Não a publicitária Clarice Chwartzmann. A gaúcha - e minha conterrânea - de Passo Fundo criou em setembro de 2014 o projeto A Churrasqueira, uma programação de cursos de churrasco somente para mulheres. 
 
Uma busca pessoal
 
Aos 49 anos, Clarice abandonou a carreira na comunicação e virou professora de churrasco para mulheres. “A ideia de ensinar mulheres a fazer churrasco surgiu a partir de um vazio, de uma pergunta profunda: quem sou eu, o que eu quero fazer e o que me faz feliz? Adoro fazer churrasco desde sempre e decidi levar isso adiante, fazer acontecer. Foi assim que criei o projeto/movimento A Churrasqueira. É muito bom poder desmistificar, simplificar e aproximar este conhecimento das mulheres. Por ser uma mulher ensinando, existem muitas afinidades, independente da realidade de cada uma. Além disso, a gastronomia do churrasco é única e universal e as mulheres merecem protagonizar o prazer e a alegria de alimentar ao redor do fogo”, disse Clarice. 
 
A paixão pelo churrasco
 
Clarice começou a se aventurar no mundo do churrasco acompanhando o pai. Aos doze anos, já atuava no posto de ajudante e, quando adulta, virou expert assando carnes na brasa até no exterior. “Nasci no interior do Rio Grande do Sul. O pátio de casa, além de árvores frutíferas, tinha uma churrasqueira enorme, local preferido do meu pai nos finais de semana. Uma infância típica do interior e de uma família grande. Por ser a filha mais velha de quatro meninas, acredito que naturalmente fui sendo introduzida ao ritual e ao prazer do preparo do churrasco: escolher a carne, preparar o fogo, temperar, espetar, esperar o ponto certo, servir e comer com muito prazer. Aprendi a apreciar esse ritual desde cedo e acabei sendo a filha que herdou, além do conhecimento, a reverência ao estado de espírito que é fazer um bom churrasco e receber pessoas queridas”, completa. Desde então, Clarice já compartilhou suas técnicas e conhecimentos com quase 150 alunas do Brasil inteiro. A ideia é reunir um grupo de mulheres, totalmente informal, para fazer um churrasco juntas, do início ao fim, passando por todas as etapas. 
 
Como funciona o curso
 
Para formar uma turma é simples e requer apenas um local com churrasqueira ou parrilla. “As participantes aprendem o passo a passo, desde como comprar a carne, fazer fogo, a utilização da grelha e espeto, o ponto da carne, como cortar e servir. Fazemos isso na prática e quem quer colocar a mão na massa, pode colocar. As alunas perguntam e degustam o resultado do curso que é o churrasco perfeito. Acima de tudo, eu passo o espírito do churrasco, o prazer, a alegria do encontro e da troca. Sem mistérios ou segredos”, explica a gaúcha. 
 
Driblando o preconceito
 
A gaúcha afirma que já ouviu comentários preconceituosos, mas isso não a paralisou. “Acho importante haver a quebra deste paradigma de que existem tarefas ou para homens, ou para mulheres. O que existe é o interesse de uma pessoa por algo, independente do sexo. A liberdade de podermos ser e fazer o que nos faz felizes é o que me move. Nunca me limitei sobre isso. Troco pneu de carro, se necessário, mas prefiro não trocar”. 
 
Na semana Farroupilha, Clarice foi convidada por um veículo de comunicação para fazer um churrasco em um piquete no Acampamento Farroupilha e foi recebida pelo patrão do piquete e pelo assador oficial, ambos vestido a rigor e espantados com a sua coragem de invadir esse reduto masculino. “Fui naturalmente fazendo meu trabalho e, ao final, eles estavam recomendando às mulheres assumirem a churrasqueira. A ideia não é fazer melhor, nem pior que os homens. É fazer do nosso jeito e que fique um churrasco de verdade, no ponto certo para todos se deliciarem”, explica. 
 
Churrasco feito por homens x churrasco feito por mulheres 
 
“A diferença existe somente na percepção geral sobre uma mulher à frente da churrasqueira. Ainda é uma novidade, algo diferente. Nós mulheres conseguimos negociar melhor com o tempo necessário para cada etapa, desde o fogo, a formação da brasa e o ponto da carne”, respondeu Clarice. 
 
Dica valiosa para as mulheres que estão começando na arte do churrasco 
 
“Aprenda, desenvolva o olhar, a observação e usufrua do prazer e alegria em compartilhar a gastronomia do fogo.” E, para finalizar, o que não pode faltar em um bom churrasco? “Organização, paciência, uma carne de qualidade, de procedência e inspeção, a brasa certa para receber a carne, a família e amigos reunidos e uma caipirinha, vinho ou cerveja para animar os convidados. De resto, é aproveitar e ser feliz.”
 
Quer fazer um curso com a Clarice? 
É só entrar em contato com ela. 
 
E-mail: clarice@antenacultural.com.br 
Telefone: (51) 9999 6798
Instagram: @claricech @achurrasqueiraoficial
Facebook: Clarice Chwartzmann ou A Churrasqueira
 
Um abraço,
Zé Mignon
 
 
 


All Categories